O adolescente crente, antes de mais nada, precisa ser moral e sexualmente puro (2Co.2;.5; 1Pe.2 pois a intimidade sexual é limitada ao matrimônio e somente nesta condição ela é aceita e abençoada por deus (Gn.24;.7;.12).
Sexualidade e liberdade : A sexualidade é uma energia à disposição de cada um, mas depende de mim o seu uso.Também a idéia de diversidade é insuficiente, pois sublinha características estranhas entre as pessoas.Tenha isso sempre em mente dentro de seu namoro cristão.A beleza e a harmonia da sexualidade vêm a ser aprendidos, para serem dirigidas com liberdade, segundo a inspiração do Senhor.Que harmonia há entre Cristo e Belial?A Bíblia diz em 1 Pedro 3:4 Mas seja o do íntimo do coração, no incorruptível traje de um espírito manso e tranqüilo, que és, para que permaneçam as coisas.Saiba como você funciona.Tudo isso ajuda a dissipar um pouco toda essa tentação na área sexual.Não é bom que o homem esteja só (Gn 2,18.21-23).
Logo, a natureza do sexo em si não é pecaminosa nem má, como acreditam e defendem alguns de forma equivocada (I.1-3).




Deus criou o homem à sua imagem; à sua imagem o criou; homem e mulher os criou.O corpo humano tem o selo de Deus, pelo que será chamado a viver um amor que não se fecha em si mesmo.Eu já fui e sofri muito!Isto é fundamental para entender o que é o corpo e como se torna ele mesmo.Todo casal de namorados não vê a hora de chegar aquele momento em que ficam sozinhos para poderem ter um papo mais íntimo.Quando se fala em namoro, precisamos aprender que somos seres sexuados, colombiana procura homem em buenos aires que somos atraídos pelo sexo oposto e que isso é perfeitamente normal.7-) Quando a coisa começar a esquentar muito ore.Isso fará muita diferença para o sucesso da relação.Doutrinando os coríntios sobre a fidelidade a Cristo, Paulo faz alusão ao valor da virgindade: Porque estou zeloso de vós com zelo de Deus; porque vos tenho preparado para vos apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo (2Co.2).
(1Ts.3-7 e fugir do sexo pré-conjugal (Gn.24; 1Co.9; 2Co.2).
As páginas veterotestamentárias nos mostram claramente que somente nesta condição o ato conjugal é aceito e aprovado por Deus (Gn.24 pois, é por meio do casamento que marido e mulher tornam-se uma só carne (Gn.24 segundo a vontade de Deus.




[L_RANDNUM-10-999]